foto:Correio Fraterno do ABC

 “Há, por outro lado, entidades que pouco sabem do que se passa, tanto no condomínio propriamente dito,

 como consigo próprias. Ignoram porque estão ali, de onde vêm e que perspectivas têm diante de si mesmas.”[1]

Hermínio Corrêa de Miranda foi um profundo estudioso da Doutrina Espírita, pesquisador  sério e renomado no país. Nasceu em Volta Redonda, RJ, no dia 5 de janeiro de 1920, falecendo em 08 de julho de 2013 (veja “Homenagem a Hermínio C. de Miranda” no blog do Projeto Estudos Filosóficos Espíritas: http://filosofandocotidiano.blogspot.com). Formou-se em ciências contábeis e trabalhou na Companhia Siderúrgica Nacional até se aposentar.

Seu primeiro livro, Diálogo com as sombras, foi publicado em 1976. Depois vieram diversos títulos. Seus livros tornaram-se obrigatórios ao estudo do Espiritismo, graças à tamanha gama de informações e detalhes sobre as questões que versam o mundo espiritual.

Das obras de Hermínio, percebemos um profundo conhecimento empírico sobre manifestações mediúnicas, diálogos com Espíritos e experiências de regressão de memória. Praticante da magnetização, durante muitos anos, realizou experimentos com regressões de memória, trazendo diversos relatos sobre vivências em vidas passadas.

Um livro impressionante que podemos citar chamado “Eu sou Camille Demounlins”, trata-se do relato de todo o processo de regressão de Luciano dos Anjos em uma existência anterior do mesmo quando encarnado como Camille Demounlins, um dos líderes intelectuais da Revolução Francesa, bem como outra obra magistral, “A memória e o tempo” em que nos coloca a par de todo o mecanismo de regressão de memória, nos situando sobre a estória dos grandes magnetizadores, suas técnicas, impressões e os relatos dos próprios casos, sintetizando quão importante se verificou esta técnica para embasar a comprovação das vidas passadas.

Trazemos o rol de suas obras, a saber [2]:

  • A dama da noite (coleção “Histórias que os Espíritos contaram”)
  • A irmã do vizir (coleção “Histórias que os Espíritos contaram”)
  • A memória e o tempo
  • A noviça e o faraó – a extraordinária história de Omm Sety
  • A reencarnação na Bíblia
  • A reinvenção da morte (incorporada ao livro As duas faces da vida)
  • Alquimia da mente
  • Arquivos Psíquicos do Egito
  • As duas faces da vida
  • As mãos de minha irmã (coleção “Histórias que os Espíritos contaram”, anteriormente intitulado Histórias que os Espíritos contaram)
  • As marcas do Cristo, publicada em dois volumes
  • As mil faces da realidade espiritual
  • As sete vidas de Fénelon (série “Mecanismos secretos da história”)
  • Autismo, uma leitura espiritual
  • Candeias na noite escura
  • Com quem tu andas? (com Jorge Andrea dos Santos e Suely C. Schubert)
  • Condomínio espiritual
  • Cristianismo: a mensagem esquecida
  • Crônicas de um e de outro (com Luciano dos Anjos)
  • De Kennedy ao homem artificial (com Luciano dos Anjos)
  • Diálogo com as sombras
  • Diversidade de carismas
  • Eu sou Camille Desmoulins (com Luciano dos Anjos), publicada também em francês com o título Je suis Camille Desmoulins
  • Guerrilheiros da intolerância
  • Hahnemann, o apóstolo da medicina espiritual
  • Lembranças do futuro (incorporada ao livro As duas faces da vida)
  • Memória cósmica
  • Nas fronteiras do além
  • Nossos filhos são Espíritos
  • O Espiritismo e os problemas humanos (com Deolindo Amorim)
  • O estigma e os enigmas
  • O evangelho gnóstico de Tomé
  • O exilado (coleção “Histórias que os Espíritos contaram”)
  • O mistério de Patience Worth (com Ernesto Bozzano)
  • O pequeno laboratório de Deus (anteriormente intitulada Negritude e genealidade)
  • O que é fenômeno anímico (série “Começar”)
  • O que é fenômeno mediúnico (série “Começar”)
  • Os cátaros e a heresia católica
  • Reencarnação e imortalidade
  • Sobrevivência e comunicabilidade dos Espíritos
  • Swedenborg, uma análise crítica

Diante deste acervo, não há como questionar a seriedade de Hermínio Correia de Miranda, especialmente o seu amplo conhecimento sobre mediunidade, reencarnação e regressão de memória e, ainda, questões relativas ao Cristianismo.

Depreendemos que Hermínio, por vezes inova em suas experiências, criando postulados de cunho cientifico, que, embora não tenham sido chancelados por outros pesquisadores, merecem respeito e ponderação, haja vista que não discrepam da lógica e da racionalidade que se espera do pesquisador espírita.

Refiro-me ao livro “Condomínio Espiritual”, em que o nosso biografado postula que existe um componente espiritual e mediúnico na chamada Síndrome de Múltiplas Personalidades, inclusive, podemos citar uma das passagens da referida obra que sintetiza tal afirmação:

“Se o leitor estiver a perguntar-se porque razão entra em cena a mediunidade nesta discussão, devo dizer-lhe que, a ser legítima a proposta de que são autônomas as personalidade de integram o quadro da camada grande histeria (SPM), é de pressupor-se no paciente faculdades mediúnicas mais ou menos indisciplinadas, mas atuantes, que permitem não apenas o acoplamento de outras individualidades ao seu psiquismo, como a manifestação de tais entidades através do seu sistema psicossomático.”[3]

Outra ousadia de Hermínio pode ser constatada no livro “As marcas de Cristo”, em que se postula que a figura histórica de Martinho Lutero tenha sido a reencarnação de Paulo, o Apóstolo dos Gentios.

Neste panorama, onde vislumbramos pesquisas e experimentações sérias e profundas, podemos dizer que Hermínio Corrêa de Miranda, será sempre uma das personalidades espíritas com maior destaque em nosso país.

Sua verve era lúcida e sagaz; vejamos abaixo, pequeno trecho da entrevista concedida à Rede Amigo Espírita em 23 de janeiro de 2012[4]:

Como você vê os caminhos do Espiritismo hoje? 
HCM – Acho que ele corre dois riscos: o de ser deturpado e o de ficar engessado. Acho um pouco exagerada a fixação dos divulgadores espíritas de conversarem apenas entre si. Os grandes filósofos do passado foram grandes comunicadores, falavam para todos e todos entendiam. Com todo respeito, se você pega o livro de um filósofo contemporâneo, não dá para entender nada; parece que escrevem uns para os outros! Acho que essa espécie de síndrome prevalece em alguns setores espíritas. Não precisa se preocupar com a doutrina espírita, se ela falhar agora – e por nossa causa – ela volta depois. Um Espírito disse a Kardec que o Espiritismo será “com os homens, sem os homens ou a despeito dos homens”. Mesmo que o rejeitemos ele vai renascer em outro lugar. Não é o movimento espírita são os conceitos fundamentais do Espiritismo que vem de milhares de anos.

Pesquisadora e redatora: Cristiane Aparecida Regiani Garcia


[1] MIRANDA. Hermínio Corrêa, Condomínio Espiritual. Editora Folha Espíria, São Paulo, 1995, pág. 257

[2] http://pt.wikipedia.org/wiki/Herm%C3%ADnio_Corr%C3%AAa_de_Miranda

[3] MIRANDA. Hermínio Corrêa, Condomínio Espiritual. Editora Folha Espíria, São Paulo, 1995, pág. 26

[4] http://www.redeamigoespirita.com.br/group/entrevistas/forum/topics/entrevista-com-herminio-miranda-revista-universo-espirita